História da Associação Ecocidade

Cidades ecologicamente sustentáveis, diminuindo o impácto sobre o meio ambiente.

Transformar as nossas cidades em ambientes ecologicamente sustentáveis,
diminuindo o impacto sobre o meio ambiente. Foi com esse objetivo que a Associação Ecocidade foi fundada em 1994. Ela surgiu a partir de lideranças comunitárias, oriundos de associações de moradores com experiências acumuladas desde 1988 nas lutas comunitárias do município de Duque de Caxias, entre outros da Baixada Fluminense.

A organização não-governamental tem como meta o fortalecimento da sociedade civil para garantir o pleno exercício da cidadania da população brasileira. A idéia do projeto nasceu após apresentação de imagens e relatos sobre um abrigo de menores da Fundação Abrigo Cristo Redentor e a comunidade chamada Cidade dos Meninos na Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (CNUMAD – sigla em inglês), realizada entre 03 e 14 de junho de 1992 no Rio de Janeiro (ECO-92).

A Cidade dos Meninos abrigou o Instituto de Malariologia, do Serviço Nacional de Saúde, do ???? nal da década de 40 até início dos anos 60.

Na região funcionava uma fábrica do serviço de produtos pro???? láticos, do Departamento Nacional de Endemias Rurais, que continha um depósito de pó de broca, BHC (inseticida organoclorado que pode causar câncer). A fábrica foi transferida para Belo Horizonte, deixando a área contaminada abandonada a céu aberto.

Foi após o advento da ECO-92 que o contexto ambiental foi inserido no dia-a-dia das associações de moradores principalmente de Duque de Caxias, reforçados por cursos de educação ambiental realizados pela Associação Ecocidade a partir de sua fundação. Nesse mesmo período, as organizações comunitárias criaram departamentos de meio ambiente dentro da própria estrutura, tornando freqüentes as ações de educação ambiental no movimento social.

Uma das propostas da Ecocidade é estimular a parceria entre os diversos segmentos sociais, visando o interesse comum com expectativa de melhorar a qualidade de vida da população. Por ser uma instituição sócio-ambientalista, ela não se limita apenas a ação na área de meio ambiente. Uma de suas vertentes é promover a assistência social beneficente também na área da saúde, infância e educação para pessoas carentes. Com isso, a ONG dissemina ações de educação ambiental à população no intuito de estimular um desenvolvimento ecologicamente sustentável.

A Ecocidade vem participando de diversos fóruns de debates sobre meio ambiente. Após uma intensa militância sócio-ambientalista em Duque de Caxias, ela tem assento como conselheira no Conselho Municipal de Meio Ambiente de Duque de Caxias, além de fazer parte do Comitê de Meio Ambiente da Baixada Fluminense e da Comissão Permanente das Entidades Ligadas a Preservação da Reserva Biológica do Tinguá - ComRebio Tinguá.

A sua boa trajetória e mobilização regional lhe propiciaram algumas representações na esfera estadual, como: coordenação da regional da Baixada Fluminense na Assembléia Permanente das Entidades em Defesa do Meio Ambiente(APEDEMA/ Baixa

da), na Câmara Técnica de Qualidade Ambiental no Conselho Estadual de Meio Ambiente do Rio de Janeiro (CONEMA)e na Rede Estadual de Educação Ambiental – RJ (REARJ).

A Instituição vem obtendo uma importante participação nos debates relacionados nos recursos hídricos do estado. Entre 2002 e 2004, ela representou a APEDEMA. Com experiência acumulada, também passou a atuar no Comitê da Bacia Hidrográ ???? ca da Baía de Guanabara.

A Organização também está acompanhando os grandes empreendimentos em torno da Baía de Guanabara. Por isso, ela é atuante no Conselho Comunitário Regional do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Concrecomperj), em Itaboraí. Ele foi criado pela Petrobrás para discutir sobre os impactos sociais, econômicos e ambientais com a comunidade.

*José Miguel da Silva é fundador
da Ong Ecocidade e milita, há mais de 20 anos, em diversas
causas socioambientais